Centro de Check-UP cardiovascular

ANGIO COR Curitiba serviços médicos

Dr. Carlos Seme Nejm Júnior
CRM: 21507-PR - RQE 2642

(41) 3342-6000

(41) 99229-2299

Agende sua consulta!

A ANGIO COR Curitiba realiza tratamento estético de varizes e varicosidades (convencional e com espuma), cirurgia de varizes convencional e cirurgia de varizes a laser utilizando técnica EVLT (Laser endovascular), inclusive sendo este assunto, o tema da tese de doutorado do Dr. Carlos Seme Nejm Jr.

Angiologia & Cirurgia vascular

O que são vasos linfáticos e qual a sua função ?

Os linfáticos são pequenos vasos, com menos de 3mm de diâmetro, cuja função é transportar linfa pelos gânglios (também conhecidos como linfonodos). Uma das principais funções do sistema linfático é de "transportar" as proteínas, outras substâncias e líquidos que saem do sangue para dentro dos vasos linfáticos, assim como também ajudar o organismo a se defender contra diferentes microorganismos (por exemplo, bactérias, vírus e fungos). A linfa ao passar pelos linfonodos (gânglios), sofre filtração e neste ponto o organismo se defende combatendo as infecções.

Imagem - (vasos linfáticos dos membros inferiores)

Quais as causas das doenças do Linfáticas ?

Entre as principais causas podemos citar a congênita (a pessoa já nasce com o problema), a infecciosa, após radioterapia, após alguns tipos de cirurgia (por exemplo, mastectomia) e tumores. Uma complicação mais rara, porém grave, é o aparecimento de câncer.

Quais os sintomas das doenças Linfáticas ?

As pessoas com doença linfática têm uma menor circulação da linfa pelo corpo. Podemos dizer resumidamente que, como a linfa fica mais "parada", uma parte desse líquido sai de dentro para fora do vaso linfático, ficando acumulado debaixo da pele, causando linfedema (inchaço) dos pés, tornozelos, pernas ou dos braços. Quando o linfedema (inchaço) aumenta, pode causar dor no local, deformidades, dificuldade para movimentar a perna, o braço etc. e até mesmo infecções da pele. Nos casos mais complicados, o inchaço é tão grande que pode dificultar o movimento do membro com incapacidade de andar normalmente.

doença linfática pode piorar com o passar do tempo ? Como ela progride ?

Depende do caso. A doença linfática tem vários estágios, começando mais leve e podendo piorar com o tempo. A piora ou não da doença vai depender da sua causa, dos cuidados que a pessoa tem, da presença ou não de outras doenças e de complicações, da rapidez do diagnóstico e do tratamento.

Quais os graus de doença linfática ?

Grau 0: Pessoas que não têm linfedema (inchaço), porém têm problemas no sistema linfático;

Grau l: Pessoas que têm linfedema (inchaço) que desaparecem apenas com o repouso noturno;

Grau 2: Pessoas que têm linfedema (inchaço) que não diminuem com o repouso, mas que podem ser eliminados com drenagem linfática manual e procedimentos médicos.

Grau 3: Estágio mais grave da doença, que se manifesta por inchaços que não melhoram com o tratamento clínico.

Imagem - (doenças do sistema linfático)

Quais são os principais tipos de tratamento de doenças linfáticas ?

São vários os tipos de tratamento para a doença linfática, porém a escolha é feita de acordo com cada caso. No geral, o tratamento baseia-se no uso de medicamentos, fisioterapia ou cirurgia, podendo ser utilizados isoladamente ou em associação.

Repouso/elevação do membro afetado:

Imagem - (doenças do sistema linfático: Repouso/elevação do membro afetado)

Medicamentos: por exemplo, drogas chamadas de linfocinéticas têm a capacidade de aumentar a circulação dos vasos linfáticos e assim melhorar os sintomas.

Fisioterapia: sessões de drenagem linfática manual e compressão pneumática intermitente melhoram, por meio da "massagem", a circulação linfática.

video: fisioterapia

Cirurgia: Indicada em poucos casos, geralmente quando não houve melhora dos sintomas com medicamentos e/ou fisioterapia.

Qual a doença mais freqüente dos vasos linfáticos ?

A doença mais freqüente dos vasos linfáticos é a erisipela, geralmente nos membros inferiores. Rachaduras, micoses, cortes e outros ferimentos nos pés ou pernas são as "portas de entrada" para bactérias causarem esta infecção, caracterizada por inchação, dor e vermelhidão na parte atingida. Além disso, ocorrem sintomas gerais como febre alta (39º C), náuseas, vômitos e mal estar geral.

O que é a erisipela ?

A erisipela é uma infecção de pele causada por bactérias, sendo muito comum nas pessoas que têm doença linfática. No geral, essas bactérias estão presentes na pele normal, porém o inchaço causado pela má circulação da linfa aumenta a chance de aparecimento de pequenas feridas na pele. As bactérias penetram através destas feridas e causam a infecção (erisipela).

Quais são os principais sintomas da erisipela ? E como pode ser tratada ?

Inchaço, dor, vermelhidão e pele quente são os principais sintomas. Nos casos mais complicados, a pessoa pode ter febre, aparecimento de "ínguas" (aumento de gânglios), fraqueza e até perda de apetite. No geral, o tratamento baseia-se no uso de antibióticos para combater a infecção e cuidados locais, como uma boa limpeza, proteção local contra traumas, entre outros.

Imagem - (doenças do sistema linfático: inchaço)

Quais as medidas de prevenção da erisipela ?

Manter os pés secos e limpos, sem micoses ou rachaduras são medidas essenciais para a prevenção. Talcos antissépticos para uso nos calçados também são recomendáveis.

É fundamental que o paciente que teve erisipela ou apresente linfedema se proteja contra novos surtos. A cada novo episódio aumenta o risco de ocorrência de linfedema pós-inflamatório. Higiene rigorosa dos pés e mãos, evitar traumatismos e cortes; evitar a ocorrência de edema, mantendo os pés da cama elevados, evitar a permanência prolongada em pé, são cuidados importantes para a prevenção da doença.

Curada a erisipela o uso da meia elástica é altamente recomendável, pois em grande parte dos casos se instala o linfedema como seqüela.

Destaques

Varizes

Pequenos filamentos arroxeados ou vasos grossos e sinuosos claramente visíveis na pele: assim são os vasinhos e varizes.

Varizes

Os vasinhos (telangiectasias) ficam nas camadas da pele e têm no máximo 1 milímetro de diâmetro, já as varizes têm diâmetro superior e estão localizadas embaixo da pele.

Cirurgia e Microcirurgia de varizes

A cirurgia de varizes é um procedimento realizado em Hospital para portadores de varizes de médio e grosso calibre.

Cirurgia e Microcirurgia de varizes

A cirurgia de varizes irá tratar as veias aparentes e suas causas. Assim serão retiradas as safenas se estiverem doentes (safenectomia), as colaterais, as perfurantes, as veias reticulares.

Cirurgia de varizes a laser

A cirurgia de varizes a laser está rapidamente se tornando o padrão-ouro no tratamento de varizes.

Cirurgia de varizes a laser

O procedimento a laser para varizes é minimamente invasivo e não requer anestesia geral. A cirurgia de varizes a laser pode ser realizada em procedimentos selecionados com anestesia local ou regional.

Exames vasculares

Os exames de imagem, permitem avaliar a qualidade dos vasos e do fluxo sanguíneo que por eles percorre.

Exames vasculares

Tanto as artérias (vasos que levam o sangue rico em oxigênio do coração para o corpo), quanto as veias (vasos que levam o sangue utilizado pelo corpo de volta ao coração) devem ser avaliadas.

Tratamento de varizes com espuma

O tratamento das varizes com espuma é uma opção à realização de cirurgia, o uso de esclerosantes em forma de espuma tem se popularizado nos últimos anos.

Tratamento de varizes com espuma

Evidências atuais sobre o tratamento de varizes com espuma ecoguiada sugere que o método é eficaz no curto e médio prazos. Estudos têm demonstrado que o tratamento é bem sucedido em cerca de 67-94% de pacientes depois de 3 meses a 10 anos de seguimento.

Tratamento de varizes a laser

O Laser pode ser usado para tratar quase todos os estágios de varizes, desde o tratamento de vasinhos (telangiectasias) até para a ablação da veia safena.

Tratamento de varizes a laser

O tratamento de varizes a laser tem como vantagens ser pouco invasivo (não usa agulhas), ser desprovido de reações alérgicas (não há injeção de medicamentos), induzir menor reação inflamatória cutânea e causar menor risco de manchas hipercrômicas (escuras) na pele.

Escleroterapia

Na escleroterapia, os "vasinhos" são tratados com a aplicação de medicamentos esclerosantes nas veias alteradas, obstruindo o fluxo sanguineo.

Escleroterapia

A escleroterapia, conhecida por muitos como "aplicação", é um tratamento destinado à eliminação das telangiectasias (vasinhos), que se encontram na parte mais superficial da pele. Um líquido esclerosante, é injetado através de microagulhas, que são extremamente finas, dentro do vasinho.

Escleroterapia com espuma

O novo método acompanha o advento da espuma esclerosante e do ecodoppler, ambos contribuindo para melhor diagnóstico e controle da doença.

Escleroterapia com espuma

A Escleroterapia com espuma na insuficiência venosa crônica dos membros inferiores surgiu na Europa, há 20 anos. O tratamento com espuma, gradativamente se firmou como método tão bom ou até melhor que a cirurgia de varizes convencional para o tratamento e controle das varizes.

Importante:

As informações contidas neste site têm caráter informativo e educacional. De nenhuma forma devem ser utilizadas para auto-diagnóstico, auto-tratamento e auto-medicação. Quando houver dúvidas, um médico deverá ser consultado. Somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA.

Responsável Técnico: Dr.Carlos Seme Nejm Júnior - CRM: 21507-PR - RQE 2642

Desenvolvido por: Paulo Henrique