Centro de Check-UP cardiovascular

ANGIO COR Curitiba serviços médicos

Dr. Carlos Seme Nejm Júnior
CRM: 21507-PR - RQE 2642

(41) 3342-6000

(41) 99229-2299

Agende sua consulta!

A ANGIO COR Curitiba realiza tratamento estético de varizes e varicosidades (convencional e com espuma), cirurgia de varizes convencional e cirurgia de varizes a laser utilizando técnica EVLT (Laser endovascular), inclusive sendo este assunto, o tema da tese de doutorado do Dr. Carlos Seme Nejm Jr.

Angiologia & Cirurgia vascular

O que é Aneurisma arterial ?

Aneurisma arterial é uma dilatação permanente, localizada, de uma artéria, tendo pelo menos 50% de aumento, comparado ao diâmetro normal.

Imagem (Aneurisma abdominal da aorta)

Imagem (Aorta, com largo aneurisma abdominal)

Qual a sua importância ?

O aneurisma arterial acomete 5% dos homens acima dos 55 anos e afeta em menor proporção as mulheres (8 homens para cada mulher).

Uma vez enfraquecida a parede arterial, ela cede à constante pressão pulsátil do sangue em seu interior e, se dilata. A partir daí e, de acordo com conceitos de leis físicas, essa dilatação aumenta cada vez mais, progredindo inexoravelmente para a rotura da artéria, situação sempre de extrema gravidade, que pode culminar com o óbito do paciente, às vezes até mesmo antes que ele consiga alcançar recursos médicos.

Após a ruptura de um aneurisma de aorta abdominal, somente metade (50%) dos pacientes conseguem chegar vivos ao hospital. Deles 24% ou mais morrem antes da operação, e 42% morrem após a operação, com uma incidência geral de mortalidade de 78 a 94%.

O fator isolado mais comum associado à ruptura é o diâmetro máximo transversal do aneurisma da aorta. Risco de ruptura por ano:

4 a 5 cm --> 1 a 3% / ano.

5 a 7 cm --> 6 a 11% / ano

+ de 7 cm --> 20% / ano

Como e porque ocorrem ?

As causas do aparecimento dos aneurismas são várias mas, as mais comuns, são por enfraquecimento da parede dos vasos, decorrentes de doenças como aterosclerose (causa mais freqüente dos aneurismas) ou inflamações do próprio vaso, fazendo com que aos poucos, durante os anos, esse local enfraquecido comece a se dilatar, podendo chegar a vários centímetros de diâmetro. Além da aterosclerose, outros fatores que podem aumentar o risco de aneurisma incluem:

Homens com mais de 60 anos.

Ter um parente imediato, com por exemplo pais ou irmãos que tem aneurisma.

Ter Hipertensão Arterial Sistêmica.

Tabagismo: O fumo é o fator de risco mais importante e está associado a 78% dos aneurismas descobertos em triagem.

Onde são mais freqüentes ?

Os aneurismas podem ocorrer em qualquer artéria do corpo humano, mas preferencialmente são encontrados na aorta abdominal, seguida das artérias dos membros inferiores e superiores, artérias cerebrais e algumas vezes nos vasos dos órgãos abdominais.

Como pode ser feito o diagnóstico ?

Muitas vezes o próprio paciente pode fazer o diagnóstico, palpando uma "bola" que pulsa, ou um "coração na barriga", quando esse ocorre na aorta abdominal.

No entanto, nessa situação, o aneurisma já é volumoso, não sendo um diagnóstico precoce.

O diagnóstico pode ser realizado pela palpação do abdômen pelo Médico clínico geral ou pela realização de uma ecografia de abdômen que muitas vezes é solicitada para a investigação de outro problema.

Imagem (Aneurisma)

Quando pode ser feito o acompanhamento clínico e com exames de imagem ?

Raio X: ocasionalmente são descobertos por seu aspecto característico de "casca de ovo" dado pela calcificação da parede da artéria.

Ultra-Sonografia: é o teste não invasivo (não causa dor para o paciente) mais amplamente utilizado para diagnosticar e acompanhar aneurismas da aorta abdominal.

Imagem (Ultra-som - Aneurisma)

Tomografia Computadorizada: é o teste mais preciso para fazer uma imagem de aneurisma aórtico. Demonstra claramente o tamanho e a extensão do aneurisma aórtico e sua relação com as artérias renais e ilíacas.

Imagem (Tomografia computadorizada)

RNM: é a mais nova das técnicas usadas para avaliação de aneurisma aórtico.

Arteriografia/Angiografia: É uma técnica que pode ser utilizada na estratégia de tratamento.

Imagem (Aorta normal e aorta com aneurisma)

Estudos tem mostrado que o risco de ruptura de aneurismas da aorta pequenos (< 5cm ) é bastante baixo, e pode ser feito acompanhamento clínicos e com exames de imagem em aneurismas da aorta com diâmetros menores que 5 ou 5,5 cm com segurança, a menos que ocorra expansão (aumento) rápida (> 1cm/ano ) ou desenvolvimento de sintomas pelo paciente.

Qual é o tratamento ?

Existem 2 opções para o tratamento do Aneurisma da Aorta Abdominal:

Tratamento Cirurgico Aberto

A cirurgia dos aneurismas está hoje em dia muito bem desenvolvida e padronizada, sendo que os riscos cirúrgicos, apesar de ser um procedimento sempre delicado, são bastante baixos quando a operação é realizada por cirurgião experiente.

Durante o tratamento cirúrgico aberto ou convencional é feito uma incisão em seu abdômen e substitui-se a parte dilatada da sua aorta com um tubo (enxerto). Este enxerto é feito de material sintético forte, como PTFE ou Dacron, no tamanho e forma da aorta saudável. O pós-operatório imediato (geralmente 1 a 2 dias) é feito em UTI e o tempo de internação após a cirurgia varia de 4 a 7. Pode-se requerer 2 a 3 meses para uma recuperação completa. Mais que 90% das correções de aneurisma abertos têm êxito por longo tempo (vários anos).

Imagem (Aneurisma - Cirurgia aberta)
Imagem (Aorta abdominal - Aneurisma - Cirurgia aberta)

Tratamento endovascular

Seguindo a evolução tecnológica na Medicina, também a cirurgia vascular progrediu, podendo ser utilizado, em casos muito bem selecionados, a tecnologia da utilização de tratamento endovascular com próteses que são colocadas por dentro do aneurisma através do cateterismo das virilhas. Ficando esse tipo de tratamento reservado principalmente para os pacientes com alto risco cirúrgico para o tratamento cirúrgico convencional.

Como o enxerto em cirurgia aberta, a prótese endovascular fortalece também a aorta. Seu tempo de recuperação para o tratamento endovascular é normalmente mais curto que a cirurgia aberta, e sua permanência de hospital pode ser reduzida a 2 a 3 dias. Porém, este procedimento requer um acompanhamento com procedimentos de imagem (angiotomografia) mais freqüentes para uma segurança de que a endoprótese continua funcionando corretamente, e é mais provável requerer manutenção periódica do que o procedimento aberto. Além disso, você pode não ser candidato para ter este procedimento, pelo fato de que nem todos os pacientes tem anatomia favorável (extensão do aneurisma, sua relação para as artérias renais etc).

Enquanto o tratamento endovascular pode ser uma opção boa para alguns pacientes, em alguns outros casos, o tratamento cirurgico do aneurisma aberto ainda pode ser o melhor modo para curar AAA. Seu cirurgião vascular lhe ajudará a decidir qual o melhor método de tratamento para sua situação particular.

video, animação: colocação de endoprótese torácica

video, animação: colocação de endoprótese abdominal

video Modular AAA

Imagem (Aneurisma)
Imagem (Aneurisma)
Imagem (Aneurisma)
Imagem (Aneurisma)
Imagem (Aneurisma)
Imagem (Aneurisma)

Destaques

Varizes

Pequenos filamentos arroxeados ou vasos grossos e sinuosos claramente visíveis na pele: assim são os vasinhos e varizes.

Varizes

Os vasinhos (telangiectasias) ficam nas camadas da pele e têm no máximo 1 milímetro de diâmetro, já as varizes têm diâmetro superior e estão localizadas embaixo da pele.

Cirurgia e Microcirurgia de varizes

A cirurgia de varizes é um procedimento realizado em Hospital para portadores de varizes de médio e grosso calibre.

Cirurgia e Microcirurgia de varizes

A cirurgia de varizes irá tratar as veias aparentes e suas causas. Assim serão retiradas as safenas se estiverem doentes (safenectomia), as colaterais, as perfurantes, as veias reticulares.

Cirurgia de varizes a laser

A cirurgia de varizes a laser está rapidamente se tornando o padrão-ouro no tratamento de varizes.

Cirurgia de varizes a laser

O procedimento a laser para varizes é minimamente invasivo e não requer anestesia geral. A cirurgia de varizes a laser pode ser realizada em procedimentos selecionados com anestesia local ou regional.

Exames vasculares

Os exames de imagem, permitem avaliar a qualidade dos vasos e do fluxo sanguíneo que por eles percorre.

Exames vasculares

Tanto as artérias (vasos que levam o sangue rico em oxigênio do coração para o corpo), quanto as veias (vasos que levam o sangue utilizado pelo corpo de volta ao coração) devem ser avaliadas.

Tratamento de varizes com espuma

O tratamento das varizes com espuma é uma opção à realização de cirurgia, o uso de esclerosantes em forma de espuma tem se popularizado nos últimos anos.

Tratamento de varizes com espuma

Evidências atuais sobre o tratamento de varizes com espuma ecoguiada sugere que o método é eficaz no curto e médio prazos. Estudos têm demonstrado que o tratamento é bem sucedido em cerca de 67-94% de pacientes depois de 3 meses a 10 anos de seguimento.

Tratamento de varizez a laser

O Laser pode ser usado para tratar quase todos os estágios de varizes, desde o tratamento de vasinhos (telangiectasias) até para a ablação da veia safena.

Tratamento de varizez a laser

O tratamento de varizes a laser tem como vantagens ser pouco invasivo (não usa agulhas), ser desprovido de reações alérgicas (não há injeção de medicamentos), induzir menor reação inflamatória cutânea e causar menor risco de manchas hipercrômicas (escuras) na pele.

Escleroterapia

Na escleroterapia, os "vasinhos" são tratados com a aplicação de medicamentos esclerosantes nas veias alteradas, obstruindo o fluxo sanguineo.

Escleroterapia

A escleroterapia, conhecida por muitos como "aplicação", é um tratamento destinado à eliminação das telangiectasias (vasinhos), que se encontram na parte mais superficial da pele. Um líquido esclerosante, é injetado através de microagulhas, que são extremamente finas, dentro do vasinho.

Escleroterapia com espuma

O novo método acompanha o advento da espuma esclerosante e do ecodoppler, ambos contribuindo para melhor diagnóstico e controle da doença.

Escleroterapia com espuma

A Escleroterapia com espuma na insuficiência venosa crônica dos membros inferiores surgiu na Europa, há 20 anos. O tratamento com espuma, gradativamente se firmou como método tão bom ou até melhor que a cirurgia de varizes convencional para o tratamento e controle das varizes.

Importante:

As informações contidas neste site têm caráter informativo e educacional. De nenhuma forma devem ser utilizadas para auto-diagnóstico, auto-tratamento e auto-medicação. Quando houver dúvidas, um médico deverá ser consultado. Somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA.

Responsável Técnico: Dr.Carlos Seme Nejm Júnior - CRM: 21507-PR - RQE 2642

Desenvolvido por: Paulo Henrique